Ao longo da história, várias espécies de cogumelos têm sido utilizadas para tratar doenças.

Sabia que a espécie Ganoderma lucidum é utilizada há mais de 4000 anos para tratar patologias no fígado, hipertensão, artrite e no alívio de sintomas gripais?Grifola frondosa, por exemplo, tem sido utilizado no tratamento de hemorroidas, em doenças gastrointestinais e como calmante.

Nos últimos anos, o uso da Micoterapia na saúde, fortemente enraizada na Medicina Tradicional Chinesa, tem vindo a ser corroborada pelas inúmeras investigações e artigos científicos publicados, com um considerável aumento da sua importância e reconhecimento na cultura ocidental.

A Micoterapia foca-se em dois aspetos fundamentais: o indivíduo como um todo – não se foca apenas na doença – e visa identificar e eliminar as causas subjacentes, ao invés de tratar apenas os sintomas.

É dado especial interesse aos polissacarídeos que fazem parte da parede celular do cogumelo medicinal, devido à sua reconhecida atividade imunomoduladora. São, assim, considerados modificadores da resposta biológica (MRB), com efeito tanto preventivo, a nível da carcinogénese, como antitumoral.

Uma vez que o corpo humano é diariamente exposto a inúmeros fatores de stress, como aditivos alimentares, toxinas ambientais, stress psicológico e cansaço físico, tem-se verificado um aumento na adesão à Micoterapia, permitindo fortalecer o sistema imunitário e cardiovascular, entre tantos outros efeitos benéficos.

This message will close in 20 s
Ajax Loading